Compartilhe

Com a evolução da tecnologia muitas novidades surgiram, muitos áreas mudaram, muitas oportunidades surgiram, em uma (r)evolução que não podemos esquecer foi na área da Educação.

A tecnologia mexeu em muitos aspectos na educação, mas uma que vale destaque aqui nesta coluna é o chamado “Ensino a Distância” ou simplesmente EAD.

De 2000 para cá, a chamada EAD cresceu 45.000% em números de alunos no país. Muita gente, no entanto, ainda fica de pé atrás com quem tirou diploma nessa modalidade de ensino. Para avaliar se isso é puro preconceito, saiba um pouco mais desta modalidade.

Para quem mora longe de uma universidade ou não pode ir à aula todos os dias, a Educação a distância (EAD) parece ideal. Por isso, ela tem conquistado tanto espaço. Em 2000, 13 cursos superiores reuniam 1.758 alunos. Em 2008, havia 1.752 cursos de graduação e pós-graduação lato sensu com 786.718 matriculados, segundo a Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed). A modalidade de ensino usa ambientes virtuais, chats, fóruns e e-mails para unir professores e turmas.

Quando se fala em graduação e pós-graduação a distância, algumas perguntas bem simples permanecem mal explicadas. Uma delas se refere à validade do diploma. Segundo a secretária de Educação a Distância do MEC, os diplomas dos cursos de educação a distância (EAD) valem tanto quanto os dos cursos presenciais – conforme descrito no decreto de regulamentação de EAD.

A internet popularizou o termo e-learning e tem vários modelos e tipos entre as quais podemos citar:

M-Learning, de mobile learning, ou aprendizagem móvel  – Acontece quando a interação entre os participantes se dá através de dispositivos móveis, tais como celulares, i-podslaptops, entre outros. Está gerando uma grande expectativa no sistema educacional, já estão se realizando iniciativas em ambientes empresariais e de pesquisa em centros acadêmicos.

blended learning, ou B-learning, é um derivado do E-learning, e refere-se a um sistema de formação onde a maior parte dos conteúdos é transmitido em curso à distância, normalmente pela internet, entretanto inclui necessariamente situações presenciais, daí a origem da designação blended, algo misto, combinado.

Vale lembra que o aluno de EAD tem um perfil um pouco diferente do aluno “tradicional” da quais podemos destacar:

– Na EaD, o aluno é co-responsável pelo seu processo de aprendizagem, construindo o conhecimento no tempo e local que seja mais adequado, sem a participação, direta em tempo integral de um professor.

– O aluno na EaD deve ser mais autônomo e independente, capaz de desenvolver a capacidade de organizar seu próprio aprendizado e de buscar o conhecimento.

– Importante dizer também que o aluno deve refletir criticamente sobre o que aprende e como aprende.

 

Vantagens e Desvantagens

As principais vantagens de se estudar a distancia são:

  • Flexibilidade de tempo e espaço
  • Flexibilidade de ritmo
  • Minimização de custo
  • Desempenho pessoal
  • O aluno evita o deslocamento e rompe as barreiras  geográficas
  • Horários flexíveis

Claro que existe desvantagens também:

  • Desmotivação do aluno
  • Aversão às tecnologias de grande parte da população
  • Necessidade de uma certa disciplina do aluno para acompanhar o curso
  • Falta da interação direta com alunos e professores
  • Problemas com velocidade da Internet

 

Verdade e Mito

VERDADE

Diferentemente do que muitas pessoas pensam realizar um curso a distância não é fácil e exige maior interesse e disciplina por parte do aluno. Apesar de oferecer maior flexibilidade do que um curso presencial, a EAD exige maior esforço estudante, por ter que ser ele o próprio regente do estudo. A flexibilidade oferecida é ideal para pessoas que têm que trabalhar, não possuem tempo de assistir às aulas tradicionais e têm motivação para progredir profissionalmente. Além disso, a EAD é capaz de levar aos lugares mais remotos o acesso à educação, bem como produz materiais consistentes para a formação dos alunos. Polos com tutores preparados para receber os estudantes, professores online e acesso irrestrito para a retirada de dúvidas são apenas algumas das ferramentas utilizadas. Há muita interação com o aluno, mas não na forma tradicional somente.

 

MITO

O maior mito é a questão da validade do diploma. Os cursos a distância, desde que reconhecidos e autorizados pelo Ministério da Educação (MEC), têm plena validade para todos os fins legais. Ou seja, desde que o aluno escolha uma instituição autorizada, o diploma deve gerar os mesmos efeitos de um curso realizado em uma instituição qualquer pelos métodos tradicionais, isto é, presenciais, sem nenhuma vedação.

 

Para finalizar antes de decidir em fazer é importante se levar em conta alguns fatores tais como:

 

O curso:

Analise se o curso que pretende fazer envolve atividades que seriam melhores desenvolvidas em um curso presencial. Na maioria dos casos cursos de concepções mais teóricas se adequam melhor ao EaD.

 

A faculdade:

Escolha bem a faculdade. Procure possíveis informações sobre o histórico da mesma e as ofertas de cursos à distância, bem como no que diz respeito ao suporte aos alunos.

 

O modelo:

Outro aspecto fundamental é o modelo que a própria instituição usa para aplicar o curso. Hoje, por exemplo, existem os modelos semipresenciais e interativos.

No modelo semipresenciais, as aulas são feitas em parte à distância e parte em um polp presencial, geralmente as aulas presenciais ocorrem uma vez por semana. Já no modelo interativos, as aulas são 100% à distância, ficando apenas algumas atividades tais como provas e trabalhos para serem realizadas presencialmente. Esta opção é bastante complicada, sendo recomendado apenas para pessoas autodidatas e a pessoas que moram em municípios onde não há um pólo presencial da instituição.

 

Se você já participou de algum curso a distância, compartilhe suas experiências e dê suas dicas!

 

É isto ai, abraços a todos…

 

Saúde, Paz e Sucesso.


Comentar via Facebook

Comentário(s)