Compartilhe


Olá, pessoal!

 

Hoje vou abordar um assunto bastante pertinente nos dias atuais: a segurança nas redes sociais. Típico assunto que muitos não dão nenhuma “bola” até serem vitimas, ou verem alguém próximo ser.

As redes sociais, verdadeiros fenômenos do nosso tempo, podem ser divertidas e perigosas ao mesmo tempo, popularidade das redes atrai hackers, spammers, ladrões de identidade e todo o tipo de criminosos virtuais.

Os perigos que rodam as redes sócias são tantos que segundo pesquisa divulgada em março pela kaspersky traz um dado surpreendente, as redes sociais estão abrigando mais links maliciosos que sites pornográficos (os preferidos até então). Segundo a empresa de segurança, mais de 20% dos links perigosos estão hospedados em serviços como Facebook, Twitter ou Google+.

Claro que não estou querendo fazer terrorismo, mas sim ser realista, as redes sociais (e quanto maior e mais representatividade, mais interessante é) são alvo de ataques visando explorar a principal vulnerabilidade destas mesmas redes: os seus utilizadores.

Entre os principais perigos que rodam as redes sociais, podemos destacar:

 

– Furto de identidade

– Phishing (fraude para obter  dados pessoais) e códigos maliciosos

– invasão de privacidade

– Danos a imagem e a reputação

– Uso indevido do perfil oficial

– Vazamento de informações

– Sequestro

– Entre outros…

 

Tudo começa com a falta de privacidade que estas redes sociais causam. O Facebook é extremamente agressivo na violação “consentida” dessa privacidade, mas isto se da muito pelo fato de que os utilizadores das redes sociais (extrapolando para a própria utilização da internet) terem muito pouca consciência das implicações da divulgação da sua informação pessoal e privada em redes pessoais. Um estudo realizado pela Sophos, chegou a conclusões assustadoras sobre o comportamento dos utilizadores do Facebook, em relação aos dados que revelam. Concluiram que:

 

– 46% dos usuários do FB aceitam pedidos de amizades de estranhos;

– 89% dos usuários da faixa etária dos 20 anos divulgam a sua data de aniversário;

– quase 100% dos usuários divulgam o seu endereço de e-mail;

– entre 30-40% dos usuários listam dados sobre sua família e amigos.

 

As redes sociais têm a característica de compartilhar tudo muito rápido, e muitas vezes não nos questionamos se estamos compartilhando algo muito pessoal ou com as pessoas erradas. De repente, aquela “tuitada” sobre o começo da viagem das férias pode ser o que o ladrão precisava para invadir sua casa. Pense, até mesmo, se é interessante divulgar para todo mundo que você adicionou sues check-ins no Foursquare mostrando onde você está.

 

Tratando mais especificamente do fenômeno Facebook

 

Velhos boatos e “pegadinhas” da internet parecem estar ganhando adaptações e vida nova no Facebook, mas há quem também “curta” e publique (às vezes sem quere) vírus e conteúdos “virais” espalhados por apps adicionados ao perfil da rede social.

Seguindo o exemplo das mensagens via e-mail, publicações no Facebook que oferecem conteúdos extraordinários ou incríveis são a isca preferida dos criminosos para atrair internautas à pragas digitais.

Criminosos brasileiros já utilizaram táticas com o humor para chamar atenção. Em um dos ataques, uma página com o Tiririca foi inclusive colocada nos “anúncios” do Facebook. A página, ao ser carregada, solicitava um download de um arquivo. Quem fizesse o download e executasse o programa seria infectado com um vírus que rouba senhas bancárias.

Outro comportamento comum no Facebook é o compartilhamento de boatos ou fraudes. Chamados tecnicamente de “hoaxes”, alguns desses temas são – mais uma vez – apenas variações do que já circulava via e-mail.

 

Um exemplo bastante comum é o que solicita que uma imagem seja compartilhada para que alguém (normalmente uma criança) ganhe uma ajuda em dinheiro. As imagens normalmente dizem que, para cada compartilhamento ou clique em “Curtir”, uma quantia em dinheiro será transferida para a vítima exposta na imagem. Essas informações são mentirosas.

Internautas até criaram imagens com personagens de desenhos para brincar com a sugestão pouco realista dessas imagens.

Outro problema está nos “plug-ins virais”. Esses são plug-ins que se multiplicam de alguma forma; o mais comum é que eles exijam que você adicione algo ao seu perfil no Facebook para ter acesso a um conteúdo “protegido” ou “restrito”. Quando você adiciona o aplicativo ao seu perfil, imediatamente o conteúdo é publicado para seus contatos, que poderão cair no mesmo golpe.

Adicionar plug-ins e aplicativos ao perfil do Facebook de forma descuidada é perigoso. Informações que você não acredita que está compartilhando ficarão acessíveis ao responsável pelo app. Além disso, o plug-in pode publicar informações no seu mural sem o seu consentimento – na verdade, você já autorizou a publicação de conteúdo quando adicionou o software ao perfil. De forma silenciosa, enquanto navega na web, o plug-in pode estar interagindo com seu perfil no Facebook.

Finalmente, existe o problema com falsas promoções. Por exemplo, alguns perfis que ofereceram promoções com iPhones, afirmando que “basta clicar ou curtir para concorrer”, afirmavam os anúncios. As publicações também eram mentirosas. Apesar de não haver um dano imediato, os fraudadores conseguem um ganho de popularidade com esse tipo de ação, o que polui a rede social, diminui a utilidade dela como ferramenta e incentiva a realização de mais “pegadinhas”.

Portanto é importante lembrar algumas dicas para garantir certa privacidade nas redes sociais e se manter em segurança. É divertido acessar a internet, se comunicar pelas redes sociais, mas nunca se esqueça de …:

 

– Manter o seu navegador de internet e os plug-ins do navegador (como Flash e leitor de PDF) atualizados. Isso serve para evitar ataques que exploram brechas nesses softwares e que poderiam ser disseminados pela rede social para infectar o PC.

– Evite fazer download de programas a partir de links na rede social.

– Não poste fotos em alta resolução. Elas podem ser usadas em montagens sem seu consentimento

– Deixe as informações pessoais disponíveis apenas para amigos

– Crie grupos de pessoas confiáveis que podem ver todas suas postagens, inclusive check-ins em locais físicos.

– Aceite apenas os convites de conhecidos evite adicionar desenfreadamente pessoas às suas redes.

– Pense bem antes de postar algo, ainda mais em momentos de nervosismo e descontrole. Uma frase ou uma foto fora do contexto podem ficar sem sentido e ofensivas, podem gerar até processos.

– Não divulgue informações confidenciais da empresa onde você trabalha, ou emita opiniões pessoais sobre os produtos e serviços como se fosse a voz da própria organização.

– Tenha cuidado ao participar de “promoções” na rede social. Na dúvida, verifique com as marcas envolvidas se aquela ação realmente está sendo realizada. Às vezes, promoções em uma rede social são divulgadas em outra. Nesses casos, uma breve pesquisa é suficiente para tirar a dúvida.

– Não compartilhe conteúdos que sugerem a transferência de dinheiro para alguém com um mero “curtir” ou “compartilhar”. Pesquise antes de compartilhar algo que parece suspeito.

– Evite curtir pegadinhas e mentiras, pois a maioria carrega vírus.

– Não adicione qualquer app ao seu Facebook e verifique os controles de privacidade da rede social.

 

Prevenir é sempre o melhor caminho, e que tal compartilhar essas dicas aqui com seus amigos?

 

 

É isto ai, abraços a todos…

 

Saúde, paz e sucesso.


Comentar via Facebook

Comentário(s)