Na primeira sessão após a aprovação do aumento de salário dos vereadores para o ano de 2013, o que se viu foram alguns protestos isolados e a clara intenção da maioria dos parlamentares em “tocar o barco adiante”.

Dario Burro (DEM) foi o primeiro a falar do assunto e ressaltou que a política não deve ser encarada como uma profissão. “As pessoas devem se candidatar para fazer o bem à população”. Dario também disse ser favorável às manifestações, mas enfatizou que elas devem ser direcionadas aos partidos. “Se vocês estão insatisfeitos com os vereadores, é dentro do partido que devem cobrar. Antes de estarmos aqui, cada um de nós passou por um processo seletivo”. Ele encerrou sua fala fazendo um desabafo aos críticos: “Sabe qual  é  nossa maior virtude? A gente dá a cara pra bater, não temos vergonha ou medo de receber 50 votos. Muitos do que estão nos criticando, têm vontade, mas não tem coragem de se candidatar, é muito oportunismo”, declarou.

Outro que citou o aumento do salário em sua fala foi José Antero (DEM). O vereador disse ser favorável à manifestações democráticas, desde que sejam ordeiras. “Respeito a carta do Sindicato, já vi muitas iguais a esta, só que algumas pessoas falam de forma leviana. Projetos de iniciativa popular não podem falar de subsídios, só quem deve debater isto são os próprios vereadores”, afirmou o vereador do DEM, citando uma carta aberta de autoria do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Jacareí entregue aos munícipes na sessão.

Antes de terminar a frase, o vereador foi interrompido por um munícipe exaltado, que aos gritos, disse que também é merecedor de um aumento como este.

José Antero rebateu: “Sou um vereador atuante. Chego aqui todo dia às 8h, trabalho em benefício do povo. Não roubei ninguém. Nosso salário está defasado desde 1996 e se alguém me indagar na rua, falo sobre isso com tranqüilidade. Não me envergonho do aumento, depois da votação deste projeto, coloquei minha cabeça no travesseiro e dormi tranqüilo”, disse.

Finalizando o bloco dos vereadores que falaram sobre o projeto do aumento de salário, Osvaldo Arouca (PR) afirmou que os parlamentares não estão legislando em causa própria. Estamos corrigindo 10 anos de atraso. Mas este aumento não é para nós. Só será válido a partir de 1 de janeiro de 2013, por isso não é ilegal, muito menos imoral”, garantiu.


AddThis
comments

NJ Tv