Guia alimentar traz importantes dicas sobre alimentação infantil em tempos de pandemia

Diante do cenário atual da pandemia do novo Coronavírus e a adaptação de uma nova rotina, o Setor de Nutrição da Secretaria Municipal de Educação de Jacareí destaca que um dos pontos mais importantes dessa reestruturação é a alimentação da família. Segundo os nutricionistas, uma alimentação saudável é essencial para manter o sistema imunológico (sistema de defesa do organismo) fortalecido, prevenir a obesidade infantil e problemas cardiovasculares, diabetes, hipertensão e outras doenças crônicas.

As orientações do Guia Alimentar do Ministério da Saúde trazem recomendações para as crianças até os dois anos de idade. Até os seis meses, devem ser exclusivamente amamentadas, ou seja, receba apenas o leite materno como alimento, não necessitando ofertar líquidos como água, chás, água de coco, mingau etc.

O Guia fala ainda que, após os seis meses, além do leite materno, outros alimentos devem fazer parte das refeições da criança. O ideal é manter a amamentação até os dois anos ou mais, pois o leite materno protege contra infecções, previne doenças no futuro como asma, diabetes e obesidade, além de favorecer o desenvolvimento físico e emocional.

Os nutricionistas destacam, também, que para auxiliar na escolha dos alimentos, planejar as refeições, definir os horários para que sejam realizadas e estabelecer lista de compras contribuem para a manutenção de uma rotina alimentar adequada e saudável.

Segundo os nutricionistas (no guia), antes da compra dos alimentos, é importante definir as preparações para as refeições que serão realizadas (café da manhã, almoço, jantar e pequenos lanches) e que alimentos serão necessários.

Alimentos in natura – De acordo com Guia Alimentar para a População Brasileira, a alimentação deve ser baseada em alimentos in natura (obtidos diretamente de plantas ou animais sem qualquer alteração após deixar a natureza) ou minimamente processados (passam por alguma modificação como a limpeza, divisão, secagem, moagem, fermentação, pasteurização, refrigeração, congelamento ou qualquer outro processo que não adicione sal, açúcar, gorduras ou outras substâncias) como leguminosas (feijões, ervilha, lentilha), cereais (arroz, macarrão, farinha de trigo, flocos de aveias etc.), legumes, verduras, frutas, água potável, carnes, leite, ovos etc.

O guia orienta evitar alimentos ultra processados (produtos produzidos pelas indústrias por meio de várias etapas de processamento e levam muitos ingredientes como sal, açúcar, gorduras, corantes artificiais, conservantes etc.) como refrigerante, sucos em pó, biscoitos, salgadinhos de pacote, sorvetes, balas, chocolates e outras guloseimas no geral.

Ao estabelecer uma lista de compras, os nutricionistas pedem aos pais que privilegiem a aquisição em mercados locais, hortifrútis ou sacolões, e prefira legumes, verduras e frutas da estação, pois é nesse período que esses alimentos estão mais nutritivos e baratos.

No momento da compra, é importante observar as características dos alimentos para adquirir itens em boas condições. Para frutas, legumes e verduras, observem a aparência, cor e se possuem partes estragadas ou mofadas; para os alimentos embalados (arroz, feijão, farinhas etc.), deve-se observar o prazo de validade e se a embalagem possui violações; para enlatados (milho, ervilha etc.), estes não devem estar amassados ou estufados.

Após as compras, é importante higienizar os insumos antes de guardá-los ou consumi-los. Mesmo os alimentos embalados precisam de higienização, principalmente durante a pandemia, que exige cuidados redobrados.

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %


Comentar via Facebook

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close