Relatório federal destaca melhorias em trechos do Rio Paraíba do Sul

0 0

O mais recente relatório da Agência Nacional de Águas (ANA) destacou melhorias na qualidade de alguns dos principais rios de São Paulo, entre eles o Paraíba do Sul. O documento atribui parte dessa condição a investimentos feitos pela Sabesp nas cidades atendidas pela companhia.
No Vale, a nota do Rio Paraíba subiu em quatro pontos de medição, espalhados por três cidades: São José dos Campos, Jacareí e Lorena. Essa melhoria explica também a volta dos peixes ao rio, e está relacionada à construção de uma estação de tratamento de esgotos em Guararema.

O relatório “Conjuntura dos Recursos Hídricos no Brasil – Informe 2012” relaciona os 47 pontos de medição onde houve evolução entre 2001 e 2010 no país. Desses, 37 estão em rios paulistas, o que é ressaltado pela ANA: São Paulo foi “um dos Estados que mais investiram em saneamento na última década”. São citadas obras da Sabesp na capital, na Baixada Santista, no Litoral Norte, Vale do Paraíba e regiões de Campinas e Presidente Prudente.

Para fazer a comparação, a ANA utiliza o Índice de Qualidade das Águas (IQA). Esse parâmetro reúne diversas análises e é resumido com uma nota de 0 a 100.

Em São José dos Campos, a água do rio passou de regular para boa, saltando de 44 para 61 em um determinado trecho, e de 50 para 65 em outro. Em Jacareí, o trecho analisado continua em situação considerada boa, e a nota também subiu, de 56 para 66. Já em Lorena, a nota do Paraíba do Sul deixou de ser regular e saltou de 50 para 60. Um dos motivos é a melhoria no saneamento de cidades como Taubaté, Tremembé e São José dos Campos.

De acordo com o relatório da ANA, um dos fatores que contribuiu para a melhoria da água nessas cidades está ligado à construção de uma ETE da Sabesp em Guararema, e também pelo aumento das vazões do Reservatório de Santa Branca. As obras de complementação do sistema de esgotamento sanitário de Guararema foram iniciadas em junho de 2011, com investimento de R$ 7,1 milhões, o que elevará o tratamento de esgotos de 62,9% para 100%. A previsão de conclusão é janeiro de 2013.

Entre 2007 e 2010, a Sabesp investiu R$ 347 milhões em afastamento e tratamento de esgotos. De acordo com o superintendente da Sabesp no Vale do Paraíba, Oto Elias Pinto, o resultado do relatório federal também é reflexo da preocupação da companhia com o meio ambiente.

“A Sabesp elevou o índice de tratamento de esgotos nas cidades onde opera de 53% para 86%, o que resultou em uma reação favorável à recuperação do Rio Paraíba. Até 2014, todos os municípios operados pela Sabesp terão 100% dos seus esgotos coletados e tratados, o que vai melhorar ainda mais a qualidade do rio”, afirmou o superintendente.

Peixes. Um dos principais reflexos do avanço do saneamento nas cidades operadas pela Sabesp no Vale do Paraíba é a volta dos peixes ao rio Paraíba do Sul. No trecho de São José dos Campos, por exemplo, o oxigênio dissolvido nas águas do rio subiu de 0,5 miligrama por litro, em 2009, para 5,2 mg/l em 2011. Para sobreviver os peixes necessitam de taxas de oxigenação a partir de 5,0 mg/l.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %


Comentar via Facebook

Comentário(s)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.