Compartilhe

Ser eliminado na Copa do Mundo é um golpe duro. Dói em todos, desde os atletas até os chamados “torcedores ursos”, que hibernam durante quatro anos e acordam para torcer na época do mundial.

A dimensão desta tristeza é compreensível, pois mesmo quem não se envolve ou não acompanha, vive o clima de euforia, esperança e, sobretudo, de Carnaval fora de época. Nunca é só futebol!

Historicamente nossas eliminações vêm acompanhadas de crises e escolha de culpados. Seremos bombardeados por esse tipo de análises nos próximos dias, mas não sei se é o caso. Não acho que foi uma tragédia e que tudo deve mudar. Em campo apresentamos bom futebol na maioria dos jogos, opções, jogadas e resultados como vinha acontecendo antes do torneio. Mas pesa contra o descontrole emocional também demonstrado em vários momentos durante alguns jogos.

Na derrota para a boa seleção belga houve as duas coisas alternadamente: jogamos bem, mas também nos descontrolamos. Continuo acreditando que uma seleção do nível do Brasil precisa ter um trabalho sério de preparação mental dos jogadores. Com o placar de 2×0 contra, ficou evidente o desespero em erros de passe e conclusões erradas para o gol.

Mas, voltando ao assunto que escrevi no texto anterior (clique aqui para ler), também faltou sorte. Digo isso porque os gols sofridos aconteceram por circunstâncias, que em outras partidas não ocorreram. Time desarrumado, precipitação em bola parada, enfim…

Já que não controlamos o acaso e ainda não inventaram um treino para ter sorte, precisamos reforçar a ideia de que é possível fazer um preparo psicológico que seja congruente com a qualidade técnica dos nossos atletas. O que não garante resultados, mas faz diferença num jogo que tem tantas variáveis e os detalhes são determinantes.

Muitos times europeus já entenderam isso. O que talvez explique as finais desta Copa. Com exceção da França, que já foi campeã, provavelmente teremos outras três seleções que nunca estiveram numa final.

Mais uma vez assistiremos o desfecho de uma Copa sem o Brasil. Não é só futebol, mas é triste… Apenas isso!


Comentar via Facebook

Comentário(s)